Capa - Sarau

Capa - Sarau
Sarau Equinócio de outono

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Espelho e o véu

Quando os corpos se aproximam
eu ouço um beija-flor cantar.
Quando sopro contra o vento
eu sinto os corpos abraçados.

Diga qual a dor que perambula no seu olhar
e a ofereça aos deuses ou para natureza
por momentos eu vejo seus olhos brilharem
como se toda a felicidade estivesse entre nós.

Quando digo o seu nome
é como se estivesse me dirigindo a palavra
e teu ser se transmuta em espelho
todo amor dirigido é retornado para mim.

Nada melhor que amar o outro como se ama a si mesmo.
Somos um corpo e um espelho um do outro agora.
Eu espero que o seu amor dado a mim retorne para você,
não, espero que você sinta meu amor como sinto o seu.

Como espelhos tocaremos o céu
num ambiente de perfumes de flores e cantos dos pássaros
nossos corpos se abraçarão sobre o véu
sobre o véu de nos conhecer diante dos corações irmanados.

3 comentários:

  1. Um brinde a esse sentimento, ao amor!
    Abraço, meu amigo.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do seu blog.
    Me interesso muito por poesia.
    Adicionarei seu blog aos meus favoritos.

    ResponderExcluir