Capa - Sarau

Capa - Sarau
Sarau Equinócio de outono

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Ventos turvos

Entre os ventos turvos desta manhã 
O frio é o acesso dos meus poros para os seus lábios 
O acesso de tua alma entrando no meu olhar 
Vi sua vida entrando na minha e estagnei admirando com atenção 
Uma ventania carregada no meu interior de sentimentos, que não sei explicar, abate minha voz e o silêncio é minha foz desse momento. 
Me lanço no silêncio como se esse tivesse braços a reerguer e pavimentar as oscilações de meus gritos interiores. 
Pedindo calma a mim e mais uma dose de silêncio 
Silêncio é festa, é preposição do meu pretérito e possibilidade do meu destino 
Sopro sobre meus dedos um sopro turvo vestindo como uma luva, aquecendo como uma mão quente que deseja acariciar minhas costas. 
Acaricio-me, uma dose de vinho por favor! 
Uma dose de amor para abastecer meu sangue e alma!

Um comentário:

  1. Eu adoro o Vento, e adorei as analogias e imagens que usou! parabens!

    ResponderExcluir